Go to Top

Transbordo, não nego

♪ Clique aqui para ouvir Gravity enquanto lê este texto, ou clique aqui para ouvir a Playlist Milene da Mata completa no Spotify ♥

O direito de transbordar… Ah, que poético é! Se encher de emoções, das mais perversas às mais humanas, sendo mais emoção do que corpo, razão ou qualquer lógica. Eu já passei por isso e você também. Transbordar faz parte da nossa natureza, somos inundados de sentimentos e vez ou outra, eles são maiores que nós. Por isso, amo essa imagem que achei no Pinterest e que traduz esses sentimentos.

E aí depois que a gente transborda e volta a caber, tudo se encaixa e o caminho volta a ficar claro. Ano passado, minha xícara esteve cheia praticamente o tempo todo, não foi surpresa quando transbordei. A parte boa é que a gente ganha novas lentes para ver o mundo, e como sou dessas que gosta de compartilhar minhas descobertas, aqui vão elas.

Tudo tem só duas perspectivas, a do ser ou não ser, a do ter ou não ter, do querer ou não querer. Por isso, quando a ansiedade bate, existem apenas duas opções: dar atenção e vez para ela ou não. Juro que não é difícil, faz uma diferença tremenda, tudo fica mais leve! Às vezes acho que criamos esses pensamentos e inquietações porque gostamos de brincar com fogo, pode parecer divertido ter sentimentos oscilantes, mas eu decidi que não quero mais isso.

A caneta e o papel, ou os dedos e um teclado, são duplas fantásticas que têm a função de exorcizar tensões e angústias. Mesmo que ninguém vá ler, mesmo que você nunca releia. Uma vez que não está mais em você, simplesmente não está mais em você, entende? É diferente de desabafar com um amigo e é diferente de ficar ruminando mentalmente os acontecimentos. Desde que eu me conheço por gente eu escrevo muito, talvez isso não seja da sua natureza, mas vale a pena tentar e depois vale a pena não parar.

Depois que voltar a caber, dê tempo ao tempo, não seja um rolo compressor que destrói as lembranças. Deixe que fiquem soltas. Automaticamente e de forma delicada, cada coisa vai tomando seu lugar, cada sentimento dá sua cara verdadeira. E aí sem drama ou sem antecipação, você colabora para que a xícara não volte a encher tão cedo.

É, estou em um momento mais zen, mas quem me conhece sabe a garota enxaqueca que posso me tornar quando estou prestes a transbordar. E sabe o quê? Eu não me culpo e nem me sinto mal, tento só ver o lado bom das coisas para que o próximo transbordamento (ou seria transbordação?) seja diferente, porque né, sem tédio ou repetição!

♪ Queen & David Bowie – Under Pressure

Bases_Assinaturas_ATerapiaDeAliceMye

29 Respostas para "Transbordo, não nego"

    • a terapia de alice
      5 de junho de 2015 - 18:18 Responder

      Obrigada, Priscila! Fique com a gente ;)

  • Elissama
    14 de julho de 2015 - 22:25 Responder

    Fiquei feliz a beça quando descobri que A terapia de Alice existia!!!! Muito bom ler um texto com uma música de fundo mais do que perfeita. Ótimas musicas acompanhados de textos magníficos! #relacionamentoseriocomosite

    • a terapia de alice
      18 de julho de 2015 - 23:14 Responder

      Adorei a hashtag, Elissama! Obrigada por todo o carinho, continue com a gente :) Beijos

  • Thais
    17 de julho de 2015 - 18:10 Responder

    Eu amo muito escrever, escrevo meus sentimentos e são escritos justamente no momento em que transbordo rs .. estou amando os textos de vocês ♥

    • a terapia de alice
      18 de julho de 2015 - 22:55 Responder

      Só quem se deixa transbordar sabe a liberdade de soltar palavras e sentimentos, né, Thais!? Obrigada pelo carinho e continue com a gente, beijos :)

  • Jeny Bauer
    14 de agosto de 2015 - 16:04 Responder

    Estou apaixonadaa pelos textos. Li vários e estou viciada kk

    • a terapia de alice
      23 de agosto de 2015 - 17:47 Responder

      Eba, que ótimo, Jeny!!! Continue aqui com a gente :)

  • Jéssica Almeida
    28 de agosto de 2015 - 14:12 Responder

    Procurar sempre ver o lado bom das coisas, esta sou eu! Adorei o texto! Parabééééns!!!!

    • a terapia de alice
      29 de agosto de 2015 - 23:44 Responder

      Uhuul!! Isso aí, Jéssica! :)

  • Larissa
    10 de setembro de 2015 - 12:09 Responder

    Realmente não dá para descrever o quão magnífica é a forma que os teus textos traduzem tudo que sinto *O* … Parabéns Myh *—–* ♡♡♡♡♡

    • a terapia de alice
      14 de setembro de 2015 - 10:22 Responder

      Obrigada, sua linda!! <3 <3 <3

  • Ana ka
    30 de setembro de 2015 - 17:42 Responder

    Eras meninas do “A Terapia de Alice” os textos de vcs tem sido um divisor de aguas na minha vida. Estou passando por uma fase bem Alice mesmo, com direito a todas as confusoes e gatos q falam coisa com coisa, e vcs tem me ajudado a tomar muitas decisoes essenciais na minha caminhada.
    Sou muito, muuuuuito grata a todas voces que tem esse maravilhoso dom das palavras.♡

    • a terapia de alice
      4 de outubro de 2015 - 22:56 Responder

      Ficamos muito felizes com as suas palavras, Ana! Obrigada por todo o carinho e esperamos de coração poder te ajudar neste seu momento Alice! Um grande beijo e continue com a gente :)

  • EC
    8 de outubro de 2015 - 19:52 Responder

    Escrever realmente é sempre muito bom Mylena, ainda mais quando estamos em momentos reflexivos na nossa vida.

    Obrigada por me lembrar disso novamente. :)

    • a terapia de alice
      9 de outubro de 2015 - 12:56 Responder

      Escrever é uma delícia, né!? Além de super necessário. Escreva sempre e por qualquer motivo :)

  • Letícia
    12 de novembro de 2015 - 13:22 Responder

    “A caneta e o papel, ou os dedos e um teclado, são duplas fantásticas que têm a função de exorcizar tensões e angústias. Mesmo que ninguém vá ler, mesmo que você nunca releia. Uma vez que não está mais em você, simplesmente não está mais em você, entende? É diferente de desabafar com um amigo e é diferente de ficar ruminando mentalmente os acontecimentos.” Você escreveu exatamente o que eu sinto quando pego uma caneta e um papel e começo a escrever! :)

    • a terapia de alice
      15 de novembro de 2015 - 14:03 Responder

      Ah que legal, Letícia! Somos duas heheh beijos <3

  • Patrícia Guollo
    14 de dezembro de 2015 - 11:15 Responder

    Coisa linda!! Melhor coisa é realmente expressar-se de algum modo. Escrever ajuda tanto, e é lindo <3

    • a terapia de alice
      15 de dezembro de 2015 - 11:27 Responder

      É sim, Patrícia! :D Obrigada pelo carinho e continue com a gente ;)

  • Cibele
    25 de fevereiro de 2016 - 00:02 Responder

    Fantástico! !!
    Não consigo parar de ler.
    Simplesmente incrível! !

    • a terapia de alice
      7 de março de 2016 - 14:40 Responder

      Obrigada, linda <3

  • Cibele
    25 de fevereiro de 2016 - 00:04 Responder

    E como ajuda escrever!!

    • a terapia de alice
      14 de março de 2016 - 14:35 Responder

      <3

  • Deise Almeida
    29 de março de 2016 - 16:26 Responder

    Melhores textos que já lí, belíssimas palavras!
    Descreve perfeitamente o momento pelo qual estou passando…
    “E aí sem drama ou antecipação, você colabora para que a xícara não volte a encher tão cedo”

    • a terapia de alice
      1 de abril de 2016 - 17:06 Responder

      Obrigada, Denise!! Assim a gente vai indo, né? Beijos e volte mais vezes aqui

  • Thais
    6 de abril de 2016 - 12:36 Responder

    Eu sou muito impulsiva. Penso de mais,e na maioria das vezes deixo me levar pela anciedade e emoção do momento. E na maioria das vezes me arrependo por agir assim. Sempre que posto alguma coisa no meu facebook logo apago. Sinto que as pessoas apenas me suportam e que agrado a minoria,e fico me culpando e remoendo o dia todo tudo que vivo. E infelizmente entrei em estado de depressão.

  • Yasmin
    2 de janeiro de 2017 - 13:03 Responder

    Seus textos me descrevem do ínicio ao fim.
    Sou grata a voce, Mylena!!
    Me ajuda a ser uma pessoa melhor e tomar decisões conscientemente!
    Amei seu blog Mylena♡♡

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *