Go to Top

E se…?

♪ Clique aqui para ouvir Gravity enquanto lê este texto, ou clique aqui para ouvir a Playlist Milene da Mata completa no Spotify ♥

Ele não te quer mais. Vocês estavam juntos há tempo suficiente para dividir coisas do dia a dia, fazer planos para o futuro, pra ser o casal amigo da galera. E, de repente, sem dar tempo pra você raciocinar, digerir ou entender, ele não te quer mais. Louco isso, né? Como assim? Mas e a viagem que estava programada para o feriado? E os meus domingos? E a minha vida?

Após aquela cruel semana que você pergunta desesperadamente para todas as amigas que já passaram por isso quanto tempo demora pra passar essa dor, e de sonhar todas as noites com ele, acho que a parte mais difícil é perceber a linha tênue entre não desistir/se humilhar. Provavelmente, alguma amiga sua já passou por isso antes, e você enxergou algo que ela não: o (ex) namorado dela não queria mais nada, e ela insistia no assunto de uma forma humilhante. Mas com você não! Com você é diferente. Você repete sozinha incansavelmente as mesmas frases: “ele ainda me quer, só está confuso” – “e se eu sumir por uma semana, será que ele vai sentir a minha falta?” – “se eu pedir pra tentar mais uma vez, ele não vai resistir a todas as coisas boas que já passamos juntos!”… e assim vai a longa autoenganação que vai nos iludindo de uma forma desesperadoramente confortável.

Bom, baseada em uma pesquisa de campo feita por mim mesma, vasculhando meu histórico de relacionamentos e os dos meus amigos, fica cientificamente comprovado, que em 99,9% dos casos ele realmente não te quer mais.

Mas, vai que você faz parte do 0,1%, né? Aí o jeito, minha amiga, é tentar sem medo de ser feliz. Porque daqui a dez anos você vai se lembrar disso e poderá dizer “eu tentei de todas as formas que eu pude”. Se não deu certo, é porque ele realmente não quis mais. Não deixe o “e se eu tivesse tentado?” fazer parte da sua vida – não por ele, mas por você.

E nunca se esqueça da linha tênue entre não desistir e se humilhar. Porque ela geralmente vem acompanhada de um sentimento de repulsa por parte de quem você está correndo atrás, caso você esteja pendendo para o lado da humilhação. Seja a pessoa que deixa lembranças boas, e mais do que isso: seja a pessoa que você mais ama nessa vida. Afinal de contas, ele… Ah, ele nem te merecia mesmo. ;)

Tô no snap, me acompanha por lá: priscilaribas <3

Acompanhe A Terapia de Alice também no Instagram ♥

Bases_Assinaturas_ATerapiaDeAlicePrile

12 Respostas para "E se…?"

  • Valeria
    10 de abril de 2014 - 14:24 Responder

    Nossa, fazia tempo que eu nao parava para pensar nos meus “ë se…”, e por incrivel que pareca, nao tem nenhum que eu me arrependa! Muito bom chegar a essa conclusao!

    • prisciribas
      10 de abril de 2014 - 15:06 Responder

      Oi, Valeria! É bom poder chegar a essa conclusão, né? Mas para quem ainda tem alguns “e se” em suas vidas, é sempre tempo de voltar atrás!! :) Beijo, volte sempre!

  • OLIVIA M. G PAIVA
    10 de abril de 2014 - 14:47 Responder

    EXATAMENTE PRISCILA!!CONCORDO COM VOCÊ EM GRAU,GÊNERO E NÚMERO!!
    ESSE 1% DEVE SER TESTADO ,MAS POR VOCÊ.PRÁ DEIXAR TUDO ZERADINHO…
    NÃO DEU?? SALMORA NO COTOVELO E…NEEEXXXTTT !!!

    • prisciribas
      10 de abril de 2014 - 15:06 Responder

      hahaha! Verdade, Olivia!! A fila anda, ainda bem!! Volte sempre!! Beijo!

  • Hélidy
    10 de abril de 2014 - 17:46 Responder

    Texto inspirador!

  • Priscila de Freitas
    11 de abril de 2014 - 00:42 Responder

    As vezes não enxergamos mesmo o “desistir / tentar / se humilhar!

    • prisciribas
      11 de abril de 2014 - 02:20 Responder

      Verdade Pri! Para isso existem as amigas: nos dar aquele toquinho básico! hehehe

  • Rodrigo Martins Muller
    11 de abril de 2014 - 06:08 Responder

    Enquanto houver uma chance estatística, por menor que seja, haverá a chama da esperança! Mas como você bem colocou, a última tentativa é facilmente confundida com a humilhação. Parabéns pelos textos meninas, estão excelentes!!!

  • Loriete
    15 de abril de 2014 - 23:01 Responder

    Muito bom…tudo tem um limite!!!Cabe a nos…usar um pouquinho da razao na hora de dar o pe na b….Parabens suas lindas!!!Vou ler todos..e passar o blog para minhas amigas!!!!

  • A vida é agora! |
    10 de julho de 2014 - 23:54 Responder

    […] Sempre fui da opinião que nunca é tarde demais para fazer alguma coisa. Já disse isso em outro post – não queira chegar na velhice com algum “E se” ;) A vida é agora! Nós, da Terapia de […]

  • A vida é agora! | A Terapia de Alice
    14 de abril de 2015 - 11:06 Responder

    […] Sempre fui da opinião que nunca é tarde demais para fazer alguma coisa. Já disse isso em outro post – não queira chegar na velhice com algum “E se” A vida é agora! Nós, da Terapia de Alice […]

  • Beatriz Cavalcante
    13 de outubro de 2015 - 14:51 Responder

    Estou nessa fase de “Com você é diferente. Você repete sozinha incansavelmente as mesmas frases: “ele ainda me quer, só está confuso” – “e se eu sumir por uma semana, será que ele vai sentir a minha falta?” – “se eu pedir pra tentar mais uma vez, ele não vai resistir a todas as coisas boas que já passamos juntos!”…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *