Go to Top

A quase mágica intimidade!

Chega um momento nos relacionamentos, seja com seus amigos ou com seu par, que um elemento entra em campo, e depois da chegada dele nada mais será o mesmo! O nome deste elemento quase mágico é intimidade, que transforma conto de fadas em “Os Normais” (lembram?).

Você e sua amiga combinam de comer um cachorro quente de rua antes de encontrar o resto do pessoal no restaurante badalado para não gastar muito. A mocinha delicada que ele conheceu, fala mais palavrão que torcida organizada em clássico. Você descobre que seu bofe lindo e bem vestido prende aquela calça de ficar em casa com um grampo de roupa (este é um caso real, mas para segurança do envolvido o nome será mantido em sigilo).

A intimidade deixa os relacionamentos mais reais, menos cheios de frescuras e aparências, o que é muito bom, considero até uma conquista. Além disso, mostra que o namoro ou a amizade evoluiu, mas como tudo na vida, existe uma linha que deve ser respeitada. É certo que cada relacionamento tem sua dinâmica, mas a cultura popular afirma: “a intimidade é uma merda”.

Respeitados os limites, vem só a parte boa de ter um amigo íntimo: contar todos os detalhes estúpidos da bebedeira da noite anterior, ficar em casa de bobeira assistindo Discovery Home & Health (e se indignando pelo fato da mulher simplesmente não saber que estava grávida), ficar em silêncio sem ser constrangedor, ouvir as melhores palavras duras que você precisava para parar de fazer cagada, desabafar todos os seus medos e inseguranças, dividir aquele croissant de chocolate (que se comido sozinho gera uma culpa desumana) e por aí vai.

E também só a parte boa de um relacionamento: cantar I want to break Free a plenos pulmões juntos, reclamar dos seus dramas familiares, comer quatro pedaços de pizza (sem deixar de ser lady), usar aquele moletom velhinho, fazer dengo, ser respeitada pelo seu leve (haha) mau humor de TPM e todas aquelas coisas que no começo do namoro você não fazia, mas que hoje são os motivos que deixam o relacionamento mais gostoso.

Não ter que parecer normal o tempo todo é uma dádiva! Ter que segurar os seus instintos mais característicos (mas socialmente duvidosos) o tempo todo é chato e cansativo. Por isso um brinde a quase traiçoeira intimidade!

♪ Fred Astaire (versão inglês) – Clarice Falcão

, , , , ,

2 Respostas para "A quase mágica intimidade!"

  • Thaísa Nascimento
    22 de julho de 2014 - 19:27 Responder

    Falou literalmente tudo, enquanto a merda da intimidade toma conta do relacionamento, é a mesma que deixa o mesmo mais gostoso. rs (Vai entender…)
    Acho que quando se trata de certas intimidades, temos um certo receio de ir morar junto, ou quando se namora, fica meio constrangedor fazer certas coisas, mas depois, certas coisas se tornam tão natural, que quando paramos pra pensar, damos até risada da situação kk

    • Mylena Gama
      27 de julho de 2014 - 22:34 Responder

      Ai, cada coisa que passamos a fazer por conta desta tal intimidade! Mas, realmente é o que deixa tudo mais gostoso! Obrigada pela visita, Thaisa! Volte sempre ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *