Go to Top

Metade de mim é desastrada, a outra metade eu derrubei e quebrei

♪ Clique aqui para ouvir Gravity enquanto lê este texto, ou clique aqui para ouvir a Playlist Milene da Mata completa no Spotify ♥

Se você concorda que as pessoas atrasadas merecem muito amor, vai concordar que pessoas desastradas e estabanadas, merecem, no mínimo, compreensão. Você que é da turma do “metade de mim é desastrado, e a outra metade eu derrubei e quebrei”, este é o seu lugar, pois aqui está uma desastrada que vos escreve. É do time que está sempre esbarrando em algo? Quebrando alguma coisa? Fazendo algum barulho fora de hora? Tenho uma notícia boa pra você: você não está sozinho! E quer outra notícia ainda melhor? Existe certo charme em você.

Pessoas desastradas sofrem, e prontamente precisam de apoio. Ter algum evento público como casamento, formatura, ou aniversário de 15 anos, é perturbador, porque, na maioria das vezes, acabamos tropeçando e vivenciando algum vexame. Sempre quando fazemos algum barulho, olhares enfurecidos vêm em nossa direção injustamente. Nós não temos culpa que todos os objetos da casa aparecem de repente na nossa frente, justamente quando tem alguém dormindo. Realmente nós queríamos lavar a louça sem quebrar todos os copos e pratos da casa, e levar uma vida normal, como qualquer outra pessoa no universo, mas existem coisas que são de impossível execução para desastrados, como fazer baliza, limpar cristais, segurar bebês, namorar ou… viver!

Somente os desastrados convivem com pernas e braços roxos o tempo todo, e o pior, não sabemos da onde vem esses hematomas. Difícil mesmo é quando o cônjuge pergunta: “Da onde vem esse roxo?”, e aí, você com a maior cara de taxo responde que não sabe, torcendo para que ele acredite e você não precise contar que topou com a mesinha da sala, afinal, até seu cachorro desvia dela e você não. Somente nós, os desastrados, sabemos o que é ter uma capa de borracha, e película de vidro para proteger o celular porque não é possível, que esses Iphones sejam tão sensíveis, e insistam em pular das nossas mãos diretamente para se espatifar no chão.

E apesar de derrubarmos tudo por onde passamos, nós, os estabanados, temos várias histórias engraçadas para te divertir, e sinceramente não existe tédio ao nosso lado, vamos provavelmente fazer você chorar de rir, contando as milhares de vezes em que “quase morremos” e vamos te mostrar com orgulho nossas cicatrizes que sempre vem acompanhadas de situações hilariantes. Temos o nosso charme, temos o nosso diferencial, e como eu costumo dizer, não é que sou desastrada, é que a minha noção de espaço é diferente, logo, ao invés de brigar comigo, me dê a mão, e me ajude a não quebrar nada pelo caminho.

 

Bases_Assinaturas_ATerapiaDeAliceNatalia

19 Respostas para "Metade de mim é desastrada, a outra metade eu derrubei e quebrei"

  • Patricia Teixeira
    22 de março de 2015 - 13:52 Responder

    Adorei o texto! Muito divertido!!! Acabei lembrando de várias pessoas, inclusive de mim mesma… kkkkkkk

    • a terapia de alice
      22 de março de 2015 - 14:43 Responder

      Patricia, que bom que se identificou, e é muito bom lembrar que pessoas desastradas são naturalmente charmosas. :D

  • Nauana Fernandes
    18 de junho de 2015 - 23:18 Responder

    Tao eu isso

  • Nelciane Ribeiro
    27 de julho de 2015 - 17:12 Responder

    Que delícia de texto! <3

    • a terapia de alice
      28 de julho de 2015 - 09:23 Responder

      Obrigada Nelciane, continue nos acompanhando ♥

  • Alessa
    21 de setembro de 2015 - 13:42 Responder

    Aqui tem mais uma que é assim tbm

    • a terapia de alice
      22 de setembro de 2015 - 16:39 Responder

      Alessa, que bom! Não estamos sozinhas! hahahaha ♥

  • Danielle
    11 de novembro de 2015 - 16:53 Responder

    amando os textos!!!!

  • Raissa Bellei Folador
    13 de novembro de 2015 - 23:57 Responder

    Muito eu hahahahahah há 8 dias tropecei num buraco na empresa em que trabalho e me esfolei todo o braço, hoje que pude tirar as faixas porque só ontem começou a criar casquinha de tão feio que foi. Tomei remédio pra dor uns 4 dias de 8 em 8h e quando conto do tombo todo mundo ri e não entende como consegui cair kkkkkkkkkkkkkk

  • Kamila Amanda
    29 de janeiro de 2016 - 23:04 Responder

    Ameeeeii o texto! Me identifiquei muito. Eu sempre apareço com hematomas e não sei onde consigui obte- los kkkkkk Parabéns, o trabalho de vcs é maravilhoso!!!

  • bruna thaina
    31 de janeiro de 2016 - 01:32 Responder

    Nossa.ainda bem que nao sou a única, ando me batendo nos móveis, as coisas caem da minha mão numa velocidade,quebro prato copo, sabonete quando abro na mesma hora cai no chao, sem falar das feridas q tenho no corpo e n sei porq, hematomas quando vou ver , ja estão la,tropeço direto na rua,n sei segurar bebê, meu cel cai todo dia, fora q varias vezes o carro passou do meu lado, enfim n morri rs, e um dia fui matar uma barata na casa d minha prima ,machuquei o dedo rancou um pedaco, no outro dia o flande caiu no meu e fui mexer na minha mochila cortei a unha com o barbeador antes n ter ido na casa dela. É isso um pouco da minha vida. Mas odeio ser assim!! :( n tem graça.

  • Lorenna
    26 de fevereiro de 2016 - 01:00 Responder

    Descrição exata do meu ser… sinto que serei marcada, mais algumas vezes kkk

  • Camila
    26 de fevereiro de 2016 - 14:59 Responder

    O mais legal, que tooooodos nossos amigos sabem que somos desastradas, e cuidam da gente o tempo inteiro kkkkkkk

  • Vinicius
    23 de abril de 2016 - 03:42 Responder

    Para nos desastrados e bom encontrar uma escritora como vc

    • a terapia de alice
      26 de abril de 2016 - 10:15 Responder

      Obrigada Vinicius! :)

  • Susiane
    4 de junho de 2016 - 08:19 Responder

    Texto muito bacana!! Descreve muitas pessoas que eu conheço e a mim mesma. É legal ver que tem pessoas como você que pega seu ” problema” e divide com os outros, para assim amenizar os tropeços do caminho.

  • Jenifer Ribeiro da Costa
    14 de julho de 2016 - 11:04 Responder

    Mds kkkkk desconfio que estas a me investigar kkk amei, parabens.

  • Daiana Ferreira
    14 de julho de 2016 - 11:27 Responder

    Incrível!!! Gostei demais <3

  • Kelly Moura
    6 de setembro de 2018 - 13:19 Responder

    Gente, instalaram câmeras por onde ando e não sei? Morrendo de rir aqui. Que alívio saber que não estou só. Parabéns pelo texto! Meu marido diz que sou tão desastrada que tropeço no chão liso… Huauhauhahuahuauhauhua

Deixe uma resposta para Nelciane Ribeiro Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *