Go to Top

Bem mais que meus 20 e tantos anos

♪ Clique aqui para ouvir Gravity enquanto lê este texto, ou clique aqui para ouvir a Playlist Milene da Mata completa no Spotify ♥

Dia desses, fiz comigo mesma o que minhas tias distantes costumavam fazer até uns anos atrás. Eu me olhei no espelho e disse: “Caramba, como você cresceu garota! Já é uma mulher!”.

Pra mim, foi num piscar de olhos que isso aconteceu. Percebi em pequenos detalhes. Na primeira vez que me flagrei dizendo que sou “a menina mulher mais feliz do mundo”. Quando comecei a ter que resolver meus problemas sem recorrer aos meus pais. Quando sou eu quem tem que dizer com frequência para alguém (com um bocado de exemplos pessoais na bagagem para mostrar que o conselho não é da boca pra fora) que no fim, tudo dá certo.

Não foi ter um filho, não foi a minha formatura, não foi o meu casamento, não foi sair da casa dos meus pais, nem passar dos 25 anos – que eram as coisas que o meu eu de dez anos atrás acreditava que seriam os indícios de que eu definitivamente haveria me tornado uma mulher.

Foi aprender a agradecer a um elogio com um “obrigada!” ao invés de uma resposta envergonhada tentando provar ao outro que ele está errado, ou que “são seus olhos”.

Foi reconhecer em mim qualidades que eu tanto admirava em outras pessoas. Descobrir que eu tenho uma ideologia, sei pelo o quê eu luto e os motivos pelos quais eu quero estar no mundo.

Foi ter coragem de falar em alto em bom tom que sim, eu sou a favor da legalização do aborto, mas que provavelmente eu jamais faria um!

Foi ter peito para repreender qualquer tipo de preconceito vindo de qualquer pessoa.

Foi quando eu percebi que ninguém é de ninguém. E me libertei de sentimentos possessivos e do medo de fazer papel de idiota perante à sociedade. Aprendi a dar a cara à tapa.

Foi quando eu parei de sentir vergonha por atitudes do passado. Culpa não resolve nenhum problema. E preocupação é o oposto da fé – mas isso eu acho que vou descobrir no pacote de prazeres que se tem ao completar cada vez mais primaveras. Porque ainda não me vejo, nem de perto, conseguindo colocar em prática.

 

Bases_Assinaturas_ATerapiaDeAlicePrile

, ,

24 Respostas para "Bem mais que meus 20 e tantos anos"

  • Valeria Ribas
    28 de abril de 2015 - 15:44 Responder

    Sinto muito orgulho de Voce ! Te amo minha filha!

    • Priscila Ribas
      28 de abril de 2015 - 17:19 Responder

      Te amo mais, mami! Aprendi tudo com vocês! <3

  • ingridizidoro1
    29 de abril de 2015 - 10:48 Responder

    Cara eu amo o seus textos. Eles são incríveis. Me identifico muito, e olha que só tenho 18 anos rs
    Ah e amei seu texto que fala de quando raspou o cabelo.
    Me identifiquei muito também, já pintei o meu de azul e roxo e fui muito criticada.
    Parabéns pelo trabalho

    • Priscila Ribas
      7 de maio de 2015 - 21:16 Responder

      Querida! Muuuuito obrigada! E continue nos acompanhando!! <3

  • Suellen Sedrez
    29 de abril de 2015 - 10:59 Responder

    super amo esse blog, leio e releio os textos sempre !!

    • Priscila Ribas
      7 de maio de 2015 - 21:18 Responder

      Obrigada Suellen! <3
      Continue nos acompanhando!! :)
      Beijos!

  • Priscila Conte
    29 de abril de 2015 - 13:58 Responder

    Texto lindo e trilha maravilhosa! Depois dos 27, tudo parece mudar a cada piscar de olhos… tudo tem um gostinho diferente e incrivelmente libertador! Você tem razão em todos os itens, xará, e verá que a cada ano essa lista de “coisas que eu aprendi com o tempo” vai aumentar não só em quantidade, mas principalmente em qualidade! Feliz aniversário!!!!

    • Priscila Ribas
      7 de maio de 2015 - 21:16 Responder

      Hahahaha! Obrigada Pri (nome lindo, por sinal! :P) É bem verdade, tudo fica com mais qualidade! Obrigada e continue nos acompanhando!! :)

  • Márcia Basko
    12 de maio de 2015 - 20:59 Responder

    Gostei do seu texto!!! Bjos

    • Priscila Ribas
      13 de maio de 2015 - 13:54 Responder

      Obrigada Márcia! <3

  • Bruna nascimento
    4 de setembro de 2015 - 00:38 Responder

    Lindo texto! Parabens !

  • Thais lourenço
    28 de setembro de 2015 - 18:26 Responder

    Nossa! Já li vários textos seus e me identifico demais! Esse então parece que vice vive a minha vida kkkkkkkkkkk
    Continue nos presenteando com seus textos!

    • a terapia de alice
      30 de setembro de 2015 - 21:55 Responder

      Thaís querida, que delícia ler isso! <3 Continue você nos presenteando com a sua visita por aqui!

  • Bruna
    30 de outubro de 2015 - 22:52 Responder

    Quero parabeniza-la por seus textos são maravilhosos, me identifiquei com vários.

    • a terapia de alice
      19 de novembro de 2015 - 09:05 Responder

      Obrigada Bruna! <3

  • Vanessa
    2 de novembro de 2015 - 20:19 Responder

    Parece que o texto foi feito pra mim! Até os 27 anos deram certo! Haha Perfeito :)

  • Geovanna Marques
    11 de novembro de 2015 - 11:19 Responder

    Suas palavrinhas valem ouro! São aprendizado diário pra mim! Tô no caminho certo, quase lá… Gratidão! ❤❤❤❤❤❤❤

    • a terapia de alice
      19 de novembro de 2015 - 09:03 Responder

      Obrigada Geovanna! Eu é que me sinto grata por fazer a diferença na sua vida! <3

  • Thaís Fonseca
    24 de novembro de 2015 - 15:22 Responder

    Acompanho o site há pouco tempo e ler o texto de vocês me deu mais motivação para continuar meu curso de Jornalismo. Parabéns a todas!

    • a terapia de alice
      21 de dezembro de 2015 - 17:19 Responder

      <3

  • rochele
    11 de dezembro de 2015 - 20:08 Responder

    Amo esse site! tudo perfeito..
    <3

    • a terapia de alice
      21 de dezembro de 2015 - 17:18 Responder

      <3

  • Claudia Dias Ramos
    28 de dezembro de 2015 - 01:41 Responder

    Show de texto, eu com meus 39 me identifiquei muito. Já guardei pra ler e reler sempre que preciso

    • a terapia de alice
      28 de dezembro de 2015 - 13:27 Responder

      Fico feliz que tenha se identificado, Claudia! <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *