Go to Top

Fui traída. E agora?

♪ Clique aqui para ouvir Gravity enquanto lê este texto, ou clique aqui para ouvir a Playlist Milene da Mata completa no Spotify ♥

Dizem por aí que em algum momento da vida todo mundo vai sentir na pele o que é ser traído. Seja por uma mensagem no WhatsApp, por pensamento, ou pelas vias de fato, quando o seu grande amor se deixa levar pelos beijos de outro alguém. Você vai chorar, sentir raiva de quem ocupou por alguns momentos o lugar que é seu, e duvido que não terá aquele breve segundo em que vai se sentir culpada pelo o que aconteceu. E depois que todas as fases passarem, vai chegar o momento da decisão. Perdoar ou não perdoar?

Se ter sido traída mais de uma vez e ter escolhido algumas vezes perdoar e outras cair fora contar como experiência, então siga um conselho e responda mentalmente duas perguntas:

É a primeira vez que isso acontece? Se não for, amiga, chegou a hora de repensar sobre o tipo de futuro que você quer para a sua vida.

Se decidisse perdoar, você conseguiria guardar esse acontecimento na gaveta mais funda do seu armário, sem deixá-lo interferir a sua felicidade?

Se as duas respostas são positivas e o seu coração ainda não quer dar um fim nessa história de amor, talvez seja o momento de deixar a sua aposta na felicidade ser mais alta do que o seu orgulho. Há uma linha tênue entre o orgulho e o amor próprio, e eu não sei bem onde a divisão entre essas duas coisas está. Mas eu sei que dar uma segunda chance também é uma forma de amor próprio. Perdoar é um jeito maduro de encarar as situações. É uma forma de amar quem ainda merece o seu amor.

Existem milhões de motivos que podem levar alguém à traição. Existe o ego, quando a necessidade de se sentir desejado por diversas outras pessoas é constante. Existe a carência. Existe a falta de diálogo. Existe a monotonia. Todas elas podem ser resolvidas e superadas, porque essas falhas existem em todos os relacionamentos sólidos e o grande desafio é superá-los juntos.

Mas existe também a falta de amor. Pra essa, caia na real. Promessas baseadas nos sentimentos do momento podem se voltar contra você no futuro. Juras de amor eternas, compromissos que você não sabe se o seu “eu” de 2025 vai poder cumprir podem fazer com que decepções sejam causadas e que todo mundo saia sofrendo. Por isso, prometa apenas o que você pode cumprir agora. E se alguém te prometeu há algum tempo algo que hoje já não pode mais cumprir, você já sabe a resposta: você é melhor do que isso. Afinal, você prefere seguir em frente sozinha e feliz, ou mal acompanhada?

♥ VEM ACOMPANHAR TAMBÉM
(clique para seguir)
NO INSTAGRAM:
@milenedamata|@aterapiadealice
YOUTUBEFACEBOOKTWITTER

Assinaturas_ATerapiaDeAlicePri

, ,

2 Respostas para "Fui traída. E agora?"

  • EC
    6 de abril de 2016 - 19:03 Responder

    você prefere seguir em frente sozinha e feliz, ou mal acompanhada?

    primeira opção, sempre.

    • a terapia de alice
      8 de abril de 2016 - 07:39 Responder

      Né? <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *