Go to Top

Não quero aventuras de uma noite, e sim o amor de uma vida toda

♪ Clique aqui para ouvir Gravity enquanto lê este texto, ou clique aqui para ouvir a Playlist Milene da Mata completa no Spotify ♥

♥ VEM ACOMPANHAR TAMBÉM
(clique para seguir)
NO INSTAGRAM:
@milenedamata|@aterapiadealice
YOUTUBEFACEBOOKTWITTER

 

3 Respostas para "Não quero aventuras de uma noite, e sim o amor de uma vida toda"

  • Kristina Cellarius Gonçalves
    15 de julho de 2016 - 12:36 Responder

    – Uau, esse texto mexeu bastante comigo. Vou contar o motivo.

    – Sou Curitibana, tenho 18 anos, e vou casar ! É meio estranho falar isso mas vou me casar, e esse texto mexeu comigo porque desde que falei que ia casar um monte de gente venho com aquela linda frase ”você é muito nova, tem muito pra viver, porque se amarrar logo agora ?” e isso estava mexendo comigo, só que agora depois que li esse texto eu percebi que eu devo casar, ele é o cara que eu amo, o cara que me ajudo tanto, o cara que sempre esteve comigo e que eu quero que esteja para sempre. Nunca fui chegada em balada, festa, mas se acaso um dia eu queira curti a vida, eu sei que posso curtir com ele ao meu lado também. Obrigada por ter aberto os meus olhos. Eu sou apaixonada pelos seus textos, te sigo nas suas redes sociais e você é uma pessoa iluminada por Deus que venho a terra para ajudar quem precisa, e voce ajuda sem nem saber como, mas ajuda e muito. Obrigada por tudo e continue sendo essa pessoa maravilhosa que você é. Beijos, tchau.

    • a terapia de alice
      20 de julho de 2016 - 09:55 Responder

      Oi Kris! Obrigada pelo seu comentário e pelo seu carinho. Não esqueça, independente de qualquer coisa, você precisa fazer o que te faz feliz, sem se importar com a opinião dos outros. Que Deus abençoe o seu casamento, um super beijo. ♥

  • Silvio Rocha
    26 de setembro de 2016 - 19:25 Responder

    Oi Natália, eu sou jornalista aqui em Maringá e é uma grata satisfação conhecer o blog de vocês. Por favor, perdoe-me se estou sendo ignorante. Eu fiquei muitos anos fora do Brasil e estou pouco antenado, rssrs. Mas amei este texto. Uma colega postou e eu perguntei a ela QUEM havia escrito? Ela não sabia. Aí, recorri ao Google. É de sua autoria? Pergunto porque é como se um homem tivesse escrito (ou então uma mulher que quisesse que um homem assim escrevera) por isso gostaria de reproduzi-lo? Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *